Exigência de nota mínima (400 pontos) na redação do Enem fica pra 2022

Categorias: 2021 - Enem - Fies

Uma notícia importante para os estudantes, que desejam ingressar em universidades no ano que vem, através do Fundo de Financiamento Estudantil (FIES), é que a regra de pontuação mínima na redação não será aplicada, exclusivamente, em 2021. O governo pretendia implementar a regra de pontuação mínima de 400 pontos, já no primeiro trimestre de 2021, mas parece ter recuado, é o que aponta a decisão publicada no Diário oficial da união desta terça feira (13) e altera a resolução nº 34 de dezembro de 2019.



O motivo não foi divulgado, mas especula-se que seja por causa dos desdobramentos ocasionados pela pandemia do novo coronovírus, que repercutiu no fechamento de instituições de ensino em todo o mundo, como uma das medidas de frear a disseminação do vírus, implicando em perca da qualidade do ensino.

Esse cenário, provocou também, o adiamento do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM), principal porta de acesso as universidades, através de programas como o Sisu, o Prouni e o Fies. O Enem, depois de muitas críticas da sociedade civil e de profissionais da área, foi adiado e será realizado no início de 2021, e seguirá as recomendações dos órgãos de saúde.

Sobre o programa



O Fies é um programa de financiamento estudantil, criado em 2001 pelo governo federal, destinado a estudantes que possuam renda per capita de até 3 salários mínimos e que desejem ingressar no ensino superior em uma instituição privada. A instituição precisa ter o credenciamento do Ministério da Educação (MEC) e a avaliação positiva dos cursos superiores para então poder ofertar o financiamento ao estudante através do programa. O Fies se destaca, principalmente, pelas baixas ou nenhumas taxas de juros sob o valor da mensalidade do curso pretendido pelos estudantes.

Quem se interessa pelo financiamento estudantil deve ficar atento, pois, as regras costumam sofrer alterações com maior rapidez, se comparados com outros programas. O programa costuma oferecer oportunidades no início e no meio do ano, o candidato concorre as vagas através do processo de seleção, que é realizado online a partir da nota do Enem.

Quais são as regras?

As regras atuais comportam indivíduos que fizeram o Enem de 2010 em diante, obtiveram média aritmética das provas de linguagens, ciências humanas e exatas, superior a 450 pontos e não ter zerado a redação. O governo pretendia, já no ano que vem, aplicar a regra de exigência dos candidatos de no mínimo 400 pontos na redação do exame. A decisão do governo, que saiu essa semana, promulgou o adiamento dessa medida, que passará a ser implementada apenas a partir de janeiro de 2022, permanece também a pontuação mínima da média das provas e o mesmo critério econômico que já é usado.

Contexto da pandemia no ensino

É sabido que o contexto da pandemia impôs diversas impossibilidades e forçou a sociedade no geral a pensar novas formas de organização, sob a égide do isolamento social. As instituições de ensino, os alunos e professores tentam apaziguar o déficit através das aulas remotas, entretanto, não é fácil de adivinhar que as medidas não alcançam todos os estudantes, o que indubitavelmente reforça os cenários de desigualdades no ensino ainda não superadas.

O Fies, por ser um programa destinado a estudantes descendentes de famílias carentes, precisa se alinhar as variáveis que compõem a realidade de tais sujeitos. Torna-se claro, a importância de tal medida de adiamento, visto a impossibilidade, de muitos concluintes ou afins de acesso as aulas remotas. Sendo assim, é oportuno pensar que a preparação para a prova do Enem está prejudicada a muitos destes e acarretará em menores pontuações, o que torna o processo de acesso ao ensino superior mais difícil.

Por Valdeilma Freitas



Outros Conteúdos Interessantes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *